Acessibilidade       A+  A-          Botão libras  Botão Voz          
O que você procura?
Quinta, 20 de Junho de 2024.

Amazônia é tema de seminário internacional sobre Serviço Social
Evento vai até o dia 6/7, em Belém (PA), com participação on-line ou presencial. A professora Joaquina Barata é destaque!

Arte: Karlla Braga (estagiária sob supervisão) e Rafael Werkema

 

Começou nesta quinta (4 de julho), na cidade de Belém (PA), o Seminário Internacional “Formação, Pós-graduação e Internacionalização em Serviço Social: a Amazônia e os desafios contemporâneos”.

 

Organizado pela Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social (ABEPSS), com apoio da Universidade Federal do Pará (UFPA), o evento é gratuito (com emissão de certificado) e ocorre até o dia 6 de julho de 2024, na modalidade híbrida, com transmissão ao vivo pela TV ABEPSS, e presencialmente em Belém do Pará.

 

 

O evento conta com palestrantes de países da América Latina, Central e Caribe, Portugal e África, com destaque para representantes de entidades internacionais de Serviço Social.

 

Na programação do seminário, destaca-se a promoção de interlocução entre estudantes e quem pesquisa na área do Serviço Social, bem como entidades e redes de pesquisa internacionais, além da discussão da particularidade da pós-graduação, com foco na Amazônia internacional.

 

Na perspectiva de internacionalização e da defesa da profissão, o CFESS está presente com a representação do coordenador da Comissão de Formação Profissional e Relações Internacionais, Tales Fornazier, e da conselheira Iara Fraga, ambos também do Comitê Antirracista do CFESS. 

 

Para Tales, a primeira edição do Seminário demarca um momento de grande relevância para o Serviço Social brasileiro e, também, para a articulação e interlocução com países da América Latina e da África, em especial.

 

“Uma tarefa importante que cada vez mais se coloca para o Serviço Social brasileiro é romper com as invisibilidades históricas de populações negras, indígenas, quilombolas, ribeirinhas e ciganas. Temos muito o que aprender com essas populações, suas lutas, culturas, formas históricas de resistências. Avançar nessas discussões e, também, ocupar esses territórios, é reafirmar essa escolha acertada, bem como a coerência com os valores ético-políticos e com a direção emancipatória inscrita no projeto ético-político profissional”, destaca.

 

“Mulheragem”: Joaquina Barata Teixeira

 

No mês em se evidenciou a questão ambiental (junho), o CFESS preparou uma “mulheragem” para Joaquina Barata Teixeira, professora aposentada da UFPA e militante dos direitos dos povos indígenas, na Amazônia. 


Pioneira neste debate na profissão, Joaquina foi a segunda assistente social brasileira a representar o CFESS na Federação Internacional de Trabalhadores Sociais (Fits, em 2002-2005 e 2005-2008) e participou da coordenação da Conferência Mundial de Assistentes Sociais de 2008, em Salvador (BA).

 

“E não por acaso, essa grande assistente social tem suas raízes fincadas na cidade cujo nome tem origem indígena e significa 'borboletinha das águas'. Marapanin, foi o nome dado pelos indígenas Pacajás, em razão do rio que margeia o município do nordeste do Pará e era acompanhado por diversas borboletas. Esse lugar onde Joaquina nasceu no ano de 1936 foi sua morada até buscar novas águas e, como borboleta, transformar outras realidades”, diz trecho da mulheragem à Joaquina. 

 

A conselheira Iara Fraga continua: "Joaquina navegou para estudar em Belém nos anos 40, onde finalizou o ensino básico e ingressou na Escola de Serviço Social em 1959, concluindo sua graduação um ano antes do período de ditadura militar. Esses elementos da natureza também dizem muito sobre a importância de Joaquina para o Serviço Social brasileiro. Como rio corrente, desviou das pedras e se avolumou na defesa de uma profissão radicalmente crítica e atenta às particularidades da região amazônica. E seguiu como borboleta contribuindo para a transformação radical das relações sociais postas”, enfatizou Iara. O registro demarca o reconhecimento do CFESS ao legado da professora Joaquina Barata.

 

A expressão “mulheragem” passou a ser utilizada durante a campanha de gestão 2020-2023 “Nós, Mulheres, Assistentes Sociais de Luta”. Ela é utilizada para enaltecer e mostrar admiração e respeito às mulheres, substituindo a palavra homenagem.

 

Baixe o marcador da mulheragem à Joaquina

 

Relembre a campanha: https://mulheresassistentessociais.com.br 

 

CFESS na Conferência Mundial

 

Ainda no primeiro semestre deste ano, entre os dias 4 e 7 de abril, o CFESS participou da Conferência Mundial de Serviço Social e Desenvolvimento Social, realizada na Cidade do Panamá, em que reuniu assistentes sociais de mais de 120 países.

 

O evento foi oportuno para observar o lugar do Serviço Social brasileiro no mundo, com a defesa das liberdades democráticas e dos direitos humanos, principalmente em relação aos conflitos atuais.

 

Além de ter sido um momento de reforçar a importância do espaço ocupado pelo Serviço Social brasileiro no mundo, a Conferência fortaleceu também as dimensões da pesquisa e de ensino, com apresentação de trabalhos para troca de experiências, reforçando o compromisso histórico-crítico de assistentes sociais do Brasil. 

 

É importante relembrar que nesse cenário de participação internacional, o CFESS esteve na vice-presidência da Fits na América Latina de 2020 a 2024.

 

Saiba mais sobre o Serviço Social brasileiro e sua contribuição internacional:

 

Conferência Mundial de Serviço Social

 

Código de Ética Trilíngue

 

Manifesto Trilíngue sobre a luta da democracia na América Latina

 

Livro: Serviço Social e as Relações Internacionais

 

--

Conselho Federal de Serviço Social - CFESS

Gestão Que nossas vozes ecoem vida-liberdade - 2023/2026

Comunicação/CFESS

Larissa Dias (estagiária sob supervisão) 

[email protected]