Sexta, 31 de Agosto de 2012.
CFESS divulga Parecer Jurídico sobre elaboração de estudos e laudos
Documento analisa intimações a assistentes sociais, emanadas do Poder Judiciário
Carregando...


Em cumprimento a mais uma deliberação do 40º Encontro Nacional CFESS-CRESS, realizado em Brasília em 2011, o Conselho Pleno do CFESS aprovou o Parecer Jurídico 10/12, elaborado por sua assessora jurídica, Sylvia Helena Terra. O documento cumpre a deliberação 4 do Eixo Fiscalização Profissional.

O Parecer Jurídico nº 10/12 trata da determinação emanada pelo Poder Judiciário, intimando assistentes sociais de órgãos do Poder Executivo a elaborarem estudos sociais, laudos e pareceres, de modo não remunerado e gerando carga excessiva de trabalho, o que caracteriza imposição do Poder Judiciário.

O documento afirma que, embora o CFESS reconheça "que o Poder Judiciário tem a missão de assegurar o cumprimento das leis e garantir a prestação jurisdicional concernente à apreciação de qualquer lesão ou ameaça de direito", e que, conforme o artigo 339 do Código de Processo Cível, que estabelece que "ninguém se exime do dever de colaborar com o poder judiciário para o descobrimento da verdade", o assistente social, também, como cidadão, pode contribuir, intervindo no processo como parte; prestando depoimento como testemunha, de fatos que tenha conhecimento, ou mesmo prestando um serviço voluntário, quando assim tiver interesse.

Ocorre que, como afirma a assessora jurídica do CFESS, Sylvia Terra, no documento, "vários outros 'colaboradores', tais como o perito; administradores, intérpretes, auxiliam o juiz no descobrimento da verdade, porém, de forma remunerada", de modo que o trabalho forçado é expressamente vedado pela Constituição Federal.

Além disso, o Parecer Jurídico 10/12 destaca "que, por não raras vezes, a atuação do assistente social, no órgão onde trabalha e está lotado, está situada em outro campo de especialização daquela exigida pelos Magistrados e outros membros do Poder Judiciário, o que implica, em tese, em um enorme esforço e dispêndio de tempo para realização daquela tarefa que lhe é exigida, assumindo, consequentemente, atividade para a qual não se sente preparado tecnicamente e/ou pessoalmente, vedação que encontra respaldo na alínea "f" do artigo 4º do Código de Ética do Assistente Social, regulamentado pela Resolução CFESS nº 273/93 de 13 de março de 1993".

Por fim, o documento reafirma "o posicionamento quanto à legitimidade da recusa  do assistente  social em aceitar a incumbência da perícia", com base em artigos do Código de Processo Civil, desde  que o impedimento seja devidamente  justificado  e  que sejam atendidos os procedimentos e requisitos legais previstos na legislação vigente.

Ao concluir o texto, a assessoria jurídica do CFESS registra que "para além dessas possibilidades individuais, é imprescindível que o CFESS, juntamente com os CRESS, busque alternativas institucionais e coletivas [...] no sentido de buscar mecanismos que possam afastar que os profissionais tenham que enfrentar e mediar solitariamente esse embate [...]".

Acesse o Parecer Jurídico 10/12 e leia o documento na íntegra



Curta o CFESS no Facebook e siga-nos no Twitter
No Facebook: http://www.facebook.com/CfessOficial
No Twitter: https://twitter.com/#!/CfessOficial
No Youtube: http://www.youtube.com/user/CFESSvideos

Conselho Federal de Serviço Social - CFESS
Gestão Tempo de Luta e Resistência – 2011/2014
Comissão de Comunicação

Diogo Adjuto - JP/DF 7823
Assessoria de Comunicação
comunicacao@cfess.org.br

Quem somos
Autarquia pública federal que tem a atribuição de orientar, disciplinar, normatizar, fiscalizar e defender o exercício profissional do/a assistente social no Brasil, em conjunto com os Conselhos Regionais de Serviço Social (Cress).
Cadastre-se
E receba por e-mail nosso CFESS Informa, informativo eletrônico com as principais notícias sobre o Serviço Social brasileiro
Conecte-se
O CFESS também esta nas redes sociais
Endereço
Conselho Federal de Serviço Social - CFESS
SCS Quadra 2 Bloco C Ed. Serra Dourada - Salas 312/318
CEP: 70300-902 - Brasília - DF
Tel: (61) 3223-1652
Tel: (61) 3223-2420
Funcionamento: de segunda a sexta de 12h às 18h. Dúvidas e sugestões pelo Fale Conosco.