Quinta, 19 de Julho de 2012.
Marcha dos Servidores Federais em greve reivindica: “Negocia, Dilma!”
CFESS e assistentes sociais marcam presença na manifestação
Carregando...

Conselheiras do CFESS fazem coro à luta dos/as trabalhadores federais (fotos: Diogo Adjuto)

Com 57 das 59 universidades federais brasileiras em greve, além dos 37 institutos federais e centros de educação tecnológica, servidores/as públicos/as de várias categorias se uniram nesta quarta-feira, 18 de julho, em uma marcha unificada na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF). Com cerca de 8 mil participantes, a mobilização tomou conta das seis faixas de trânsito da via, parando a capital do país. O CFESS também esteve na luta, representado pelas conselheiras Sâmya Ramos, Kátia Madeira, Juliana Melim e Ramona Carlos.

Com centenas de faixas, bandeiras e cartazes, os/as manifestantes exigem a abertura de negociação sobre reajuste salarial com o governo da presidente Dilma Roussef. No entanto, o objetivo não é somente esse. "Nossa pauta de reivindicações enquanto servidores/as é fundamental, porém também estamos aqui para defender a educação pública e de qualidade para todos/as", explicou o assistente social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e conselheiro do CRESS-RJ, José Rodolfo da Silveira.

Durante a caminhada pela Esplanada dos Ministérios, os expressivos grupos de estudantes gritavam "a nossa luta unificou, é estudante, funcionário e professor", enquanto mais à frente outros/as completavam: "a nossa luta é todo dia, educação não é mercadoria". Na dianteira da marcha, servidores protestaram: "negocia, Dilma!".

Para a presidente do CFESS, Sâmya Ramos, a marcha simboliza a luta dos/as trabalhadores/as por condições dignas de trabalho para todos/as, na perspectiva da garantia de um serviço público de qualidade para a população brasileira. "A mobilização de professores/as, estudantes e técnico administrativos também fortalece a greve das instituições de ensino, na luta por uma educação pública, gratuita e de qualidade", ressaltou a conselheira.

Repressão no Palácio
A marcha se concentrou em frente à Catedral de Brasília e caminhou em direção ao Palácio do Planalto, onde fez uma breve parada, após a ação repressiva da Polícia Militar (PM), que impediu a continuidade do deslocamento após a passagem pela Praça dos Três Poderes. "Em uma manifestação pacífica na luta por direitos da classe trabalhadora, a PM utiliza de seu aparato repressivo para barrar a continuidade do movimento. Estamos abertos ao diálogo, porém ainda só temos a lamentar", manifestou a primeira-secretária do Sindicato Nacional dos Docentes de Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN) e assistente social Marina Barbosa. 


PM barra a continuidade da marcha, em frente ao Palácio do Planalto

Ela disse também que os/as docentes não aceitarão a proposta de plano de carreira e de reajuste da forma como foi apresentada pelo governo. E enfatizou que a categoria já esteve paralisada por mais tempo no passado, mas nunca com esse alcance.

Após a liberação da PM, os/as servidores/as continuaram a caminhada e se concentraram nos gramados ao redor dos Ministérios do Planejamento (MPOG) e da Educação (MEC), fechando quatro faixas da via e seguindo com as manifestações para pressionar a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, a receber as lideranças do movimento.

Greve na Educação
Para o Conselho Federal, a greve expõe questões centrais do processo recente de expansão do ensino superior no país. De um lado, a tendência à mercantilização – com investimentos do Estado sendo transferidos para as empresas privadas da Educação; de outro, a expansão do ensino público, que não vem sendo acompanhada de investimentos que permitam às instituições federais de ensino crescer de modo a garantir a qualidade e a valorização dos/as trabalhadores da área.

"A luta do movimento é mais do que justa; é uma luta desta e das futuras gerações. É hora de convocar os/as assistentes sociais de todo o país a participarem dessa mobilização", completou a presidente do CFESS, Sâmya Ramos.

Na mesma direção, o professor da Universidade Federal de Goiás (UFG) e assistente social Augusto Vieira destacou que os/as participantes da marcha estavam ali para, fundamentalmente, defender um serviço público de qualidade. "No caso dos/as professores/as, a luta é pela reestruturação da carreira, pois, se queremos uma universidade de qualidade, isso exige a valorização dos/as trabalhadores/as. Estamos na luta e dispostos a negociar!", afirmou o professor.

O conselheiro do CRESS-GO, George Ceolin, também presente à marcha, enfatizou que essa foi uma das maiores mobilizações dos/as trabalhadores/as no governo Dilma. "Queremos mostrar a esse governo comprometido com o capital internacional que somente com a valorização do serviço público é que teremos uma educação emancipatória em nosso país, trabalhadores/as na luta sempre!", conclamou.

O movimento grevista está acampado na Esplanada dos Ministérios desde a segunda-feira, dia 16, onde promovem debates, reuniões e manifestações dos/as trabalhadores/as. Além disso, os/as manifestantes bloquearam as entradas do MPOG na tarde desta quinta-feira, para pressionar novamente a ministra a receber representações dos três comandos de greve.

Veja mais fotos da marcha:


Manifestantes ocupam todas as faixas da Esplanada








Veja a nota do CFESS de apoio ao movimento grevista

Curta o CFESS no Facebook e siga-nos no Twitter
No Facebook: http://www.facebook.com/CfessOficial
No Twitter: https://twitter.com/#!/CfessOficial
No Youtube: http://www.youtube.com/user/CFESSvideos

Conselho Federal de Serviço Social - CFESS
Gestão Tempo de Luta e Resistência – 2011/2014
Comissão de Comunicação

Diogo Adjuto - JP/DF 7823
Assessoria de Comunicação
comunicacao@cfess.org.br







Quem somos
Autarquia pública federal que tem a atribuição de orientar, disciplinar, normatizar, fiscalizar e defender o exercício profissional do/a assistente social no Brasil, em conjunto com os Conselhos Regionais de Serviço Social (Cress).
Cadastre-se
E receba por e-mail nosso CFESS Informa, informativo eletrônico com as principais notícias sobre o Serviço Social brasileiro
Conecte-se
O CFESS também esta nas redes sociais
Endereço
Conselho Federal de Serviço Social - CFESS
SCS Quadra 2 Bloco C Ed. Serra Dourada - Salas 312/318
CEP: 70300-902 - Brasília - DF
Tel: (61) 3223-1652
Tel: (61) 3223-2420
Funcionamento: de segunda a sexta de 12h às 18h. Dúvidas e sugestões pelo Fale Conosco.