Terça, 29 de Maio de 2012.
Frente sobre Drogas e Direitos Humanos se reúne no CFESS
Coordenação Nacional definiu novas estratégias de atuação
Carregando...

Grupo se reuniu na sede do CFESS, em Brasília/DF (foto: CFESS)

Com representantes de algumas das entidades que compõem a coordenação nacional, a Frente Nacional sobre Drogas e Direitos Humanos (FNDDH) se reuniu na sede do CFESS, em Brasília (DF) neste sábado, 27 de maio. Compareceram, além do CFESS, representado pela conselheira Heleni Ávila, integrantes do Conselho Federal de Psicologia (CFP), do Movimento Nacional da População de Rua (MNPR), da Rede Nacional Internúcleos da Luta Antimanicomial (RENILA), da Associação Brasileira de Saúde Mental (ABRASME) e da Pastoral Nacional do Povo da Rua.

Um dos pontos de debate foi a definição das novas ações estratégicas da Frente. A conselheira do CFESS afirmou que o grupo definiu que as reuniões da Frente Nacional devem continuar ocorrendo de maneira itinerante, de forma a percorrer estados diferentes, na medida em que há descentralização.  "Avaliamos que estas reuniões precisam estar articuladas com ações também ampliadas nestes estados, como um ato político, sendo a sugestão de mobilizar Assembleias Legislativas ou Câmaras Municipais para chamar audiências públicas como Reunião da FNDDH", apontou Heleni Ávila. 

Ela acrescenta que as reuniões ampliadas da FNDDH devem  ocorrer nas cidades em que há implementação do Plano de Combate ao Crack com o uso da Força Nacional, realizando audiências públicas, seguindo a seguinte ordem de prioridade: Rio de janeiro em julho, Salvador em agosto, Recife em Setembro e Fortaleza em outubro.

Além disso, o grupo também avaliou as mobilizações a respeito do projeto de lei (PL) 7424/2010, que regulamenta o exercício da profissão de Terapeuta em Dependência Química, além dos PLs sobre internação compulsória.

O relatório da reunião afirma que a criação de uma profissão, conforme propõe o citado PL, deve estar pautada em demanda social relevante, que vise conhecimento e competência especializados, que sejam necessários para a realização de certas tarefas. "Observa-se, então que o cuidado à dependência química já está previsto nas políticas de saúde do país e já possui profissionais habilitados e competentes para efetivação dessa política.    Assim, é um equívoco considerar que a criação de uma profissão técnica para o cuidado à dependência química poderá de alguma maneira contribuir para o avanço da saúde. Além de não contribuir, a criação dessa profissão pode trazer retrocesso, reforçando o modelo assistencial que precisa ser eliminado, e trazendo novos embates relacionados à disputa de mercado de trabalho", diz trecho do documento.

Por fim, uma das propostas que também foi aprovada é a de a FNDDH fazer contato com as assessorias das Comissões de Direitos Humanos e de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados solicitar uma audiência pública. O objetivo é, além de divulgar a FNDDH, prestar contas de suas ações durante o ano e denunciar as políticas em curso no campo do álcool e outras drogas e a higienização social.

Leia também:

CFESS debate a Política sobre Drogas do governo federal

CFESS passa a integrar a Frente Nacional de Entidades sobre Drogas

Conselho Federal de Serviço Social - CFESS
Gestão Tempo de Luta e Resistência – 2011/2014
Comissão de Comunicação

Diogo Adjuto - JP/DF 7823
Assessoria de Comunicação
comunicacao@cfess.org.br


Quem somos
Autarquia pública federal que tem a atribuição de orientar, disciplinar, normatizar, fiscalizar e defender o exercício profissional do/a assistente social no Brasil, em conjunto com os Conselhos Regionais de Serviço Social (Cress).
Cadastre-se
E receba por e-mail nosso CFESS Informa, informativo eletrônico com as principais notícias sobre o Serviço Social brasileiro
Conecte-se
O CFESS também esta nas redes sociais
Endereço
Conselho Federal de Serviço Social - CFESS
SCS Quadra 2 Bloco C Ed. Serra Dourada - Salas 312/318
CEP: 70300-902 - Brasília - DF
Tel: (61) 3223-1652
Tel: (61) 3223-2420
Funcionamento: de segunda a sexta de 12h às 18h. Dúvidas e sugestões pelo Fale Conosco.