Acessibilidade       A+  A-          Botão Libras  Botão Voz          
O que você procura?
Quarta, 26 de Junho de 2019.

CFESS Manifesta traz reflexões sobre o trabalho com pessoas refugiadas
Documento apresenta informações sobre a temática e propõe possibilidades de intervenção profissional

Imagem traz uma ilustração de pessoas migrantes, refugiadas, com malas e sacolas. São homens, mulheres e crianças, caminhando em direção a uma cerca de arame farpado, tentando atravessá-la. Arte: Rafael Werkema/CFESS

 

Mais de 25,4 milhões de pessoas são refugiadas e 3,1 milhões são pessoas solicitantes de refúgio no mundo todo, segundo dados de 2017. No Brasil, cerca de 10 mil pessoas tiveram reconhecida sua condição de refugiadas e mais de 85 mil são solicitantes de refúgio. Esse ano foi o maior em quantidade de pedidos de refúgio, num total de 33.866, segundo dados do Comitê Nacional de Refugiados (Conare), divulgados pelo Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados), de 2017.

 

E qual o impacto disso no trabalho de assistentes sociais pelo país? Quais as possibilidades de intervenção profissional?

 

O novo CFESS Manifesta da série Conjuntura e Impacto no Trabalho Profissional, lançado nesta quarta-feira (26/6), mês em que se celebra o Dia do Refugiado (20/6) e Dia do Imigrante (25/6), apresenta reflexões sobre a temática, abordando as violações de direitos sofridas pelas pessoas migrantes, e a importância da informação, pesquisa e construção de conhecimento nesse campo profissional. 

 

Leia o CFESS Manifesta Serviço Social e o trabalho com refugiados/as

 

Relembre

 

Assista ao Seminário Serviço Social, Relações Fronteiriças e Fluxos Migratórias, realizado em 2016 

 

 

Conselho Federal de Serviço Social - CFESS
Gestão É de batalhas que se vive a vida - 2017/2020
Comissão de Comunicação

Rafael Werkema - JP-MG 11732
Assessoria de Comunicação

comunicacao@cfess.org.br