Terça, 27 de Setembro de 2016.
Leia o CFESS Manifesta sobre o aborto e o trabalho de assistentes sociais
Documento marca o Dia Latino-Americano e Caribenho pela Descriminalização e Legalização do Aborto, celebrado em 28 de setembro
Carregando...

Imagem mostra um muro e um grafite de um corpo de uma mulher no canto esquerdo, mãos atrás como proteção e as cores roxa e lilás

O tema dialoga sobre a vida concreta das mulheres, o acesso delas aos serviços de saúde e assistência e o trabalho de assistentes sociais na relação de garantia dos direitos das mulheres (Arte: Rafael Werkema/CFESS)

 

A data de 28 de setembro é marcada pela celebração do Dia Latino-Americano e Caribenho pela Descriminalização e Legalização do Aborto.

 

O CFESS, por meio de manifesto, aponta mais uma vez a necessidade de dar visibilidade a este tema, abordando o trabalho de assistentes sociais, o cotidiano das mulheres e a luta do Conjunto CFESS-CRESS pela legalização do aborto.

 

“Trata-se de um tema sempre posto como polêmico, mas que se refere objetivamente à dimensão da ética e da liberdade, em contraposição ao fundamentalismo religioso e às expressões da sociabilidade patriarcal. Não se trata de opiniões contrárias ou favoráveis. Dialogamos aqui sobre a vida concreta das mulheres, o acesso delas aos serviços de saúde e assistência e nossa atuação profissional como assistentes sociais na relação de garantia dos direitos das mulheres”, afirma trecho do CFESS Manifesta.

 

O documento reúne uma série de dados que mostram que o aborto é uma questão de saúde pública. Para se ter uma ideia, segundo dados de 2008 do IPAS Brasil (International Pregnancy Advisory Services), estima-se que, no Brasil, sejam realizados, por ano, mais de um milhão de abortamentos inseguros.

 

O CFESS Manifesta ressalta também a questão da autonomia das mulheres sobre seu corpo. E reafirma o posicionamento do Conselho Federal e dos Conselhos Regionais, deliberado democraticamente nos encontros nacionais, pela legalização do aborto, trazendo argumentos fundamentados no Código de Ética da categoria e nos números alarmantes sobre o aborto no Brasil.

 

O manifesto aponta ainda uma direção para o trabalho de assistentes sociais que seja oposta a ações profissionais que neguem os direitos das mulheres. “A postura profissional que se espera de assistentes sociais em seu cotidiano de trabalho, seja na saúde – principal espaço de interligação com a problemática do aborto – seja na assistência e nos serviços especializados de atendimento às vítimas de violência, é de um compromisso ético e político com os princípios democráticos que norteiam nossa profissão, e que devem ser sobrepostos aos desvalores do individualismo e do moralismo”, diz outro trecho do documento.

 

Nas páginas do CFESS Manifesta podem ser lidos chamamentos do movimento feminista em defesa do aborto.

 

Leia o CFESS Manifesta do Dia Latino-Americano e Caribenho pela Descriminalização e Legalização do Aborto

 

 

Conselho Federal de Serviço Social - CFESS

Gestão Tecendo na luta a manhã desejada - 2014/2017
Comissão de Comunicação
Rafael Werkema - JP/MG 11732

Assessoria de Comunicação
comunicacao@cfess.org.br

Quem somos
Autarquia pública federal que tem a atribuição de orientar, disciplinar, normatizar, fiscalizar e defender o exercício profissional do/a assistente social no Brasil, em conjunto com os Conselhos Regionais de Serviço Social (Cress).
Cadastre-se
E receba por e-mail nosso CFESS Informa, informativo eletrônico com as principais notícias sobre o Serviço Social brasileiro
Conecte-se
O CFESS também esta nas redes sociais
Endereço
Conselho Federal de Serviço Social - CFESS
SCS Quadra 2 Bloco C Ed. Serra Dourada - Salas 312/318
CEP: 70300-902 - Brasília - DF
Tel: (61) 3223-1652
Tel: (61) 3223-2420
Funcionamento: de segunda a sexta de 12h às 18h. Dúvidas e sugestões pelo Fale Conosco.