Sexta, 22 de Janeiro de 2016.
Universidade pública, presencial e de qualidade é possível!
Assistente social é eleita reitora da Universidade Federal de Alagoas
Carregando...

Imagem mostra Valéria Correia na cerimônia de posse, junto com integrantes do Ministério da Educação e o ministro Aloízio Mercadante A assistente social e nova reitora da UFAL, Valéria Correia, juntamente com o Ministro da Educação, Aloízio Mercadante (ao centro) (Foto: Rafael Werkema/CFESS)

 

A defesa de uma política de Educação que tenha como referência um ensino superior público, estatal, presencial, laico e de qualidade sempre foi uma bandeira do Serviço Social brasileiro.

 

Há anos, assistentes sociais bradam que política social não é mercadoria; que a Educação deve estar a serviço da classe trabalhadora, contribuindo para ampliação da consciência política e crítica de toda a população, na perspectiva de construção de uma sociedade justa e igualitária. E ocupar a universidade pública com este pensamento crítico, em todas as possibilidades que ela oferece, contribui para fortalecimento dessa luta.

 

Por isso, a eleição e posse da assistente social e professora Maria Valéria Costa Correia como reitora da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) para os próximos quatro anos merece destaque no âmbito do Serviço Social brasileiro.

 

A cerimônia de posse ocorreu na última quinta-feira (21/1), no Ministério da Educação.

Valéria Correia é uma das primeiras assistentes sociais do Brasil eleita para ocupar o cargo de reitora em uma universidade pública. Professora de Serviço Social da UFAL, ela integra a Frente Nacional contra a Privatização da Saúde. 

 

“A universidade pública é patrimônio de brasileiros e brasileiras. Ela pode contribuir para uma sociedade justa e democrática”, afirmou a assistente social durante a solenidade de posse.

 

Dividindo a mesa com representantes do MEC e, inclusive, com o ministro Aloízio Mercadante (PT/SP), Valéria Correia levantou preocupações e questões que representam hoje o posicionamento político do Serviço Social brasileiro.

 

A reitora questionou a política austera do Governo, que promove cortes significativos na Saúde e na Educação, criticou o veto da presidenta Dilma Rousseff à auditoria da dívida pública, que consome mais de 60% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, e alertou sobre os prejuízos causados pelas Organizações Sociais (OS) na administração de hospitais públicos, que afetam as condições de trabalho e a qualidade de atendimento ao público. “Isso traz um impacto negativo na universidade e, consequentemente, nas políticas públicas”, enfatizou.

 

Ao final, Valéria Correia afirmou que estará em constante diálogo com o MEC, ampliará as ações de interiorização da UFAL em Alagoas e que não medirá esforços para garantir uma universidade para todos e para todas. Além disso, a reitora reafirmou o compromisso de sua gestão com a ciência e com a cultura para desenvolvimento da região. “A UFAL deve contribuir para reverter os perversos índices sociais do estado de Alagoas. Uma outra UFAL é possível!”, finalizou a reitora, utilizando a frase usada durante sua campanha.

 

O ministro da Educação também fez uma fala evidenciando a ampliação do acesso ao ensino superior no Brasil nos últimos 12 anos, com destaque para ações afirmativas, que possibilitaram o acesso de pessoas de baixa renda e das populações negra e indígena à universidade. Mercadante disse também que a UFAL deve, para além do seu papel de promover o ensino público superior, contribuir com a educação básica da região, formando professores e professoras que até hoje não têm uma graduação. Isso, futuramente, acarretará no aumento do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Alagoas, considerado um dos piores do Brasil.

 

Para a conselheira do CFESS Valéria Omena, a eleição de Valéria Correia como reitora da UFAL “representa uma conquista não só para comunidade universitária e do povo de Alagoas, mas para a luta por uma educação pública, gratuita, laica e de qualidade, que é bandeira da nossa profissão”, afirmou.  

 

A conselheira ainda ressaltou que o Serviço Social será bem representado em outras frentes, como a defesa da assistência estudantil integral e a luta contra a privatização da Saúde.

 

O mandato da assistente social e professora de Serviço Social Valéria Correia será de quatro anos.

 

Erramos! (atualizado em 29/1/2016)

 

A assessoria de comunicação do CFESS recebeu e-mails informando que Valéria Correia não é a primeira assistente social reitora de uma universidade pública, e sim a assistente social Márcia Perales, da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

 

A doutora Márcia Perales é docente da UFAM há 27 anos, já chefiou o Departamento de Serviço Social da Universidade e ocupou o cargo de pró-reitora de Extensão e Interiorização da Ufam, sendo a primeira mulher a se tornar, consequentemente, reitora da Ufam, a mais antiga do País. Hoje, está em seu segundo mandato à frente da Instituição.
 
 

Conselho Federal de Serviço Social - CFESS

Gestão Tecendo na luta a manhã desejada – 2014/2017
Comissão de Comunicação

Rafael Werkema - JP/MG 11732

Assessoria de Comunicação

comunicacao@cfess.org.br

Quem somos
Autarquia pública federal que tem a atribuição de orientar, disciplinar, normatizar, fiscalizar e defender o exercício profissional do/a assistente social no Brasil, em conjunto com os Conselhos Regionais de Serviço Social (Cress).
Cadastre-se
E receba por e-mail nosso CFESS Informa, informativo eletrônico com as principais notícias sobre o Serviço Social brasileiro
Conecte-se
O CFESS também esta nas redes sociais
Endereço
Conselho Federal de Serviço Social - CFESS
SCS Quadra 2 Bloco C Ed. Serra Dourada - Salas 312/318
CEP: 70300-902 - Brasília - DF
Tel: (61) 3223-1652
Tel: (61) 3223-2420
Funcionamento: de segunda a sexta de 12h às 18h. Dúvidas e sugestões pelo Fale Conosco.