Acessibilidade       A+  A-          Botão Libras  Botão Voz          
O que você procura?
Sabado, 09 de Agosto de 2008.

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
CFESS leva reflexão às comemorações dos 15 anos do PSF
A incorporação do assistente social à equipe de Saúde da Família foi a principal reivindicação. Mas a participação do CFESS no evento realizado em Brasília, entre os dias 6 e 8 de agosto, foi determinante também para o debate, a troca de experiências e a integração dos profissionais espalhados pelo país.

Desde que foi implantada como programa, em 1993, a Estratégia de Saúde da Família (SF) vem buscando meios de garantir o acesso da população ao atendimento de qualidade. A cada cinco anos (1998, 2003 e 2008) uma Mostra Nacional apresenta os resultados, aponta os desafios e busca soluções.

Na edição da semana passada, chamou a atenção a abordagem das manifestações culturais no âmbito da SF, o que garantiu muita música e animação aos finais de tarde do Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

Já a programação de trabalhos foi extensa, e expôs realidades de diferentes lugares do Brasil. Um dos destaques veio de Campina Grande. A cidade é pioneira na inserção do assistente social, a partir da possibilidade que é concedida aos municípios de incorporar outros profissionais na equipe da SF. Tatiane Fernandes contou as dificuldades e as conquistas ao falar sobre "A Contribuição do Assistente Social no Trabalho Interdisciplinar da Saúde da Família".

Para Sâmbara Paula Ribeiro, Conselheira Vice-Presidente do CFESS, "é inegável que nesses 15 anos tenha aumentado o número de pessoas beneficiadas. Mas o serviço perdeu em qualidade". Segunda ela, a população não tem sido orientada como deveria, a estrutura se tornou precária, os medicamentos são reduzidos, e o atendimento, principalmente a crianças, idosos e gestantes, deixa a desejar.

Sâmbara gostaria que a III Mostra não se resumisse a relatos, mas provocasse uma reflexão que viesse a contribuir com a evolução do SF. Pensando nisso, organizou reuniões durante a programação para apresentar o Grupo de Trabalho do Serviço Social na Saúde, com representação em todas as regiões. Os assistentes sociais presentes puderam dar sugestões e enumerar demandas que vão contribuir com o desenvolvimento de um plano de ação. Um dos objetivos é definir as atribuições do Serviço Social na Saúde.

Atualmente o SF possui cerca de 28 mil equipes, atendendo mais de 88 milhões de pessoas. Desde o início, o assistente social luta para fazer parte daqueles grupos. Os argumentos justificam, já que "a saúde é compreendida como produto das condições gerais de vida e da dinâmica das relações sociais, econômicas e políticas", segundo Resolução do CFESS.

Além disso, é exatamente o assistente social quem identifica, em sua rotina de trabalho, causas e fatores que incidem na qualidade de vida da população. Não é à toa que a saúde é hoje o seu principal campo de atuação profissional.